segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Hoje sinto que não tenho nada. estou vazia, nem chorar consigo, chorar por quê? para quê? para quem?
Vou afundar-me em mim mesma se este dia não acaba.
amanhã
só quero acordar e que o sol dê a volta e me devolva à superfície

5 comentários:

  1. minha querida vera,

    escrevi há dois dias algo em que citava
    Einstein,
    "... a criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura",
    ...

    hj o dia estará mais luminoso, bem sabes.

    a abraçar-te,

    o meu carinho
    Mel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, doce Mel...o mal não era relativo à criatividade, era mesmo por dentro, o vazio a ocupar tudo...mas já passou. Beijos, carinho, abraços, sim?

      Eliminar
  2. Querida Vera, conheço essa sensação e tenho até um nome para ela... e aproveitando a deixa da "nossa" Mel, é dessa angústia que me nasce muita da criatividade de que sou capaz...
    Mas haja luz... a superfície está lá, e tu e eu sabemos.

    Beijinho grande e saudades

    ResponderEliminar

  3. Já passaram uns dias. Por certo já houve outros mergulhos e outras tantas superfícies bem mais claras.
    Somos todos assim... somos todos, uns mais do que outros, a moer inquietações e angústias e a reinventar horizontes!

    Beijinho daqui, querida Vera. Sempre que precisares, tenho duas mãos e um abraço para ti :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, João, és uma espécie de anjo :) Abraços!

      Eliminar